segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Que porra! O Sporting ganhou!!!!

Olá Mãe,

Então, 'tás feliz? O teu Sporting ganhou! Havias de estar lá, eu, o meu marido e o Pai fomos novamente aos "petiscos" para ver o jogo e a coisa até começou bem, apesar do golo do Sporting, mas o ambiente 'tava animado.... O pior foi na 2ª parte que o Benfica começou a descambar e eu e o Pai começámos a ficar calados... E foi um horror no final, com o Sportinguistas todos eufóricos.... ele não disse, mas tenho a certeza que o Pai estava fulo da vida!!!

Tem sido muito interessante este relacionamento do Pai com o meu marido! Sabes perfeitamente que tanto tu como o Pai nunca foram muito com o feitio do meu marido. Pegaram-se várias vezes, nomeadamente nas vésperas do meu casamento, lembras-te?

Foi difícil aquele momento, mas ... não quero falar nisso. O que queria dizer é que para quem, como eles 2, estavam sempre às turras por causa da Bola, hoje em dia entendem-se lindamente... Não tenho dúvidas que existe um esforço de ambas as partes para um saudável convívio! E se calhar é mais do que isso, porque sinto (e o meu marido tb) que desde que adoeceste que o Pai o trata como seu filho também... com a mesma consideração e preocupação....!

E por falar em preocupação.... Depois de um sábado mais animado, veio um Domingo muito difícil para o Pai! Ele só foi pestiscar lá a casa à noite. Disse-me depois que tinha estado todo o dia na tua terra.... Foi novamente ao cemitério... e depois esteve toda tarde com o pessoal do costume no café... e depois foi ver mais umas pessoas vossas conhecidas por lá e que o têm apoiado muito: aquela miúda que te queria levar a Fátima, lembras-te....

O problema é que quando ele me apareceu lá em casa, vinha com os olhos inchados.... Corta-me o coração vê-lo assim! Não sei o que fazer mais... Por muito bem que ele se esteja a aguentar, a verdade é que ele passa o tempo todo a reviver as tuas memórias...

Eu sei que o luto é assim mesmo, e que cada um o vive da sua maneira, mas queria tanto poder confortá-lo nem que seja só um bocadinho....

Até logo!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

O meu regresso à Vida Activa

Olá Mãe,

Só agora me dei conta de que ainda não te falei do meu novo emprego.....

Lembraste que aquela pessoa de quem te falei e com quem estive a falar em Outubro propondo-lhe que trabalhasse para ele, afinal cumpriu o que disse!

Em Janeiro ligou-me e fez-me uma proposta espectacular: salário de Técnica Superior, para exercer Gestão (Recursos Humanos) e Higiene e Segurança no Trabalho, ou melhor, no fundo para ser acessora dele....

Melhor não podia ter sido, finalmente poder exercer o que andei a aprender em 7 anos de ensino superior!!!! Finalmente sentir que faço aquilo que sei e gosto!!!

Nem imaginas a felicidade que senti naquele dia! Liguei logo ao Pai para dar a novidade e depois fui ter com ele, só para o abraçar, porque era isso que me apetecia...

Desde que partiste que exteriorizamos muito mais aquilo que sentimos. O Pai chora muitas vezes ao pé de nós. Nas missas que têm sido rezadas por ti (embora a nós não nos diga muito...) tenho estado sempre com o Pai lá, para que ele não se sinta sozinho... e acabamos sempre abraçados a chorar... não podemos fazer mais do que isto...

Mas, o que importa agora, é que as coisas começaram a melhorar... só falta o meu marido arranjar trabalho e o mano construir a casa, para tudo começar a ir ao lugar... Há e falta também eu terminar a Pós-Graduação, já só falta defender o trabalho...

Depois conto-te tudo....

Beijinhos

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Voltar à minha "antiga" casa...

Hoje entrei sozinha na casa dos meus pais... é estranho como classificamos a casa onde moram os nossos pais... Afinal esta também foi a minha casa, embora eu agora tenha outra... E agora é suporto eu chamar aquela casa, casa do meu Pai (sem a Mãe)? Não me consigo decidir...

Mas o que me leva a escrever é a angústia que senti ao lá voltar... não porque a minha Mãe não estava lá... mas por me lembrar dos momentos difíceis que lá vivi, quando ela estava doente... quando soubemos do diagnóstico, quando a ajudavamos a recuperar da quimio, quando inventávamos comidas para ver se ela conseguia comer...

Aquela casa ainda está impregnada do cheiro desses dias...

Para além disso, a maneira (que eu acho excelente) de o meu pai conseguir sobreviver ao que sente, foi espalhar fotos da minha mãe por toda a casa... Acho normal e também gosto de a ver naquelas fotos que ela tanto gostava...

Mas mais ainda, a propósito da homenagem que lhe fizeram na sua colectividade, onde ela representava teatro amador, o meu Pai andou a reunir um conjunto enorme de fotos de toda a vida dela, e foi esta reunião que eu encontrei hoje...

E foi isto que mais me custou... é que o meu Pai deu nome às fotos e a última (tirada no meu casamento), chama-se: A família mais completa - porque não lhe deram tempo para mais.

Sim, aquilo que neste momento mais me custa é que a minha Mãe não conseguiu ser avó....

O que encontramos nos passos que damos!

Hoje este post é dedicado à L. que tem um blog que eu sigo, e que ela agora segue o meu!

Isto para dizer que por vezes os passos que damos na nossa vida, sejam eles físicos ou mentais, levam-nos sempre para caminhos que nos abrem novas portas, apesar das que entretanto se fecham.

Os meus últimos passos virtuais levaram-me a conhecer blogs através de outros blogs, até que encontramos algo que nos fala directamente ao coração, e ficamos com vontade de ir lá muitas vezes.

Esta foi a sensação quando li o Blog Momentos do Dia (não sei fazer links!) da L., que partilha comigo a dor de perder alguém (e que não se discute quem sofre mais....), também ela criou um blog para "desabafar" aquilo que quer dizer a alguém mas não pode... Só que ela faz este trabalho com muito mais poesia do que eu...

De qualquer forma espero que quem gostou do meu blog, continue a gostar, que eu pela parte que me toca, continuarei a visitar o Blog da L.

Até já...

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Voltar a Lisboa

O Concerto dos Tindersticks na sexta-feira foi em dúvida excepcional! O Coliseu estava cheio e nó etávamos nas nuvens!

Quando se mora numa aldeia como nós, e que no meu caso também trabalho numa aldeia, ir a Lisboa é mesmo um banho de civilização... sabe bem!!

Mas afinal para mim não soube assim tão bem.... Dei por mim a tentar recordar-me porque é que o caminho de Lisboa me estava a ser tão familiar se há tanto tempo que não ia lá!

Parece que foi já há tanto tempo... mas não... Há 3 meses atrás, durante 12 dias, fui todos os dias ver-te no hospital... O pai chegou a ir duas vezes por dia, porque fazia a primeira visita e vinha para casa, mas depois não aguentava e regressava de novo comigo ou com outra pessoa que também fosse...

Voltou a doer muito e passei uma parte do concerto a chorar... A recordação daqueles dias, daquela angústica, ainda dói muito!

O pior foi novamente ter passado a noite inteira a sonhar contigo no hospital e no funeral...

Mas tenho que passar esta fase... A esperança é que mais tarde as recordações possam só ser a boas...

Até amanhã....

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Afinal não...

Afinal o atraso não resultou em nada... o maldito "Benfica" já veio....

Mais um mês a tentar... já foram tantos....

Se nada acontecer até Maio, volto à Ginecologista e provavelmente vou ser assistida no Hospital de Santa Maria, na consulta de reprodução assistida.

Entretanto, hoje é dia de festa... concerto dos Tindersticks no Coliseu em Lisboa!

E o trabalho final da PG tá a acabar... tenho só até dia 23 para entregar tudo!

Beijinhos e Bom fds

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

O Dias de Bola

Olá Mãe, ontem o Pai foi lá jantar a casa... havia jogo da Selecção!

Tem sido assim nos últimos tempos, quando há jogo é costume ele jantar connosco, lá em casa, ou nos petiscos. Tal como te chegámos a contar quando estavas no hospital, lembras-te...

Depois aos fins de semana também é costume ele lá ir a casa. Tenho feito os pratos que ele mais gosta: cozido à portuguesa, que depois fiz feijoada, petingas fritas com arroz de tomate, iscas...

Mas sabes que ele agora ainda gosta mais de lá ir casa... é que arranjei um cão! Igualzinho ao que fazia o anúncio do papel higiénico... e ele adora o cão!!!! Já se voluntariou para ficar com ele quando nós quiséssemos sair ao fim de semana!!!! Por isso já sabes... a tua casa vai ter umas mijadelazinhas de cão!!!!!!

Isso é uma das coisas que te gostava de ter contado logo desde o início, a orientação que o Pai tem tido na limpeza e arrumação lá de casa! Lembras-te de te queixares que ele nunca fazia nada quando lhe pedias que arrumasse o escritório, ou a arrecadação? Pois bem, agora está tudo num brinquinho!

Logo depois de partires, ele resolveu por tudo em ordem. Deu uma volta grande no escritório, reorganizou arquivos, arrumou tudo. So que agora o escritório é só para o computador, porque o resto ele faz na cozinha! Tambem como ele come sempre no Pronto a Comer, pode perfeitamente utilizar a cozinha para estar a trabalhar!

Mas não só! Trata da roupa, lava, estende e apanha, e já combinou com a Dª Luisa para ir lá todas as semanas mas só de manhã! É que assim, ela passa-lhe sempre roupa e dá um jeitinho nas casas, e uma manhã chega para isso!

Enfim, aprendeu a viver uma nova vida... agora ate deixa crescer a barba!!!

Não tem sido fácil para ele... nem para mim... mas como tenho dito a todos, os dias não deixam de passar lá porque nós não queremos....

Vou regressar ao trabalho... fica bem, até amanhã!

Bjinhos

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

A expectativa...

Oh Mãe, tenho que te dizer uma coisa: tenho periodo atrasado....

Nunca te disse mas , desde 2007 que ando a tentar engravidar... Nunca te disse porque não te queria criar falsas expectativas. Já chegava ter que lidar com as minhas próprias ansiedades...

Mas durante o ano que passou, como sabes, as dificuldades na minha saúde ainda trouxeram maiores dificuldades para lidar com essa ansiedade... A infecção, os 5 dias no hospital, a operação, a menopausa precoce.... O que tu não sabes é que antes de tudo isso, tive um aborto espontaneo... Foi horrível, as dores que tive, e foram dores tanto físicas como da "alma"... o teu genro esteve sempre lá, mas mesmo assim, custou muito, porque nós nunca sabemos dizer aquilo que sentimos e assim não temos o "colinho" que precisamos....

Mas tudo isso passou, como tu ainda viste, pois um mês antes de tu partires já era menstruada outra vez.

Agora, começa uma nova contagem decrescente... 2 semanas até fazer um teste de gravidez... até lá espero que nada aconteça...

Depois eu conto-te o resultado...

Bjinhos

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

O Diagnóstico

Ficámos a saber que a minha mãe estava doente por razões óbvias. Ela que de alguns anos para fazia 3 de mim de tão forte que estava, estava a perder pesoa um ritmo alucinante...
... É do stress dizia ela... É que estava para estrear uma peça de teatro onde ela participava e os ensaios eram todos as noites, e os nervos eram realmente muitos!
Mas não, nós também achavamos que não era só isso...
Finalmente resolveu-se a ir ao médico que lhe encontrou os diabetes a mais de 400! Alguma coisa estava a acontecer porque ela nunca tinha sido diabética...
Pouco mais tarde, com novos exames, o diagnóstico definitivo chegou: cancro na cabeça do pancreas!
O chão fugiu-nos debaixo dos pés, principalmente quando o nosso médico nos alertava para o facto de ela poder ter apenas 3 meses de vida...
O meu Pai chorava por tudo e por nada... E nós, eu o meu marido, o meu irmão e a mulher dele, sem saber muito bem como reagir, só dizíamos que era preciso ter calma e fazer o que houvesse para fazer.
E foi assim que esta odisseia ccomeçou... a partir desse dia as nossas vidas ficaram diferentes... muito diferentes.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Início atrasado

O objectivo deste blog é criar um espaço para onde eu possa despejar aquilo que eu penso, sinto e tenho vontade de falar sobre a minha mãe, mas também aquilo que que gostava de lhe dizer a ela!

É que .... a minha mãe já morreu....

É por isso que este início está atrasado, pois devia ter começado quando a doença dela começou a tornar-se incontornável e a necessidade de falar sobre isso era grande...

Ainda assim, a família foi suprimindo essa necessidade, porque estavamos sempre lá e conversávamos muito, quanto mais não seja pelo telefone...

Nunca tínhamos passado por uma situação destas, com alguém "lá de casa" a morrer aos poucochinhos... e foi doloroso de mais para todos nós....



É disso que pretendo falar nos próximos posts, por enquanto vou relatar o que passei e o que senti...