quinta-feira, 4 de novembro de 2010

E a contagem decrescente não pára...

Até dia 6, dia do Baptizado da Catarina, as horas passam a correr e as coisas por fazer acumulam-se!!!!!

Desde o fim de semana passado, que ando a escrever a quantidade de coisas que tenho de deixar feitas! Por exemplo: a roupa toda passada, a limpeza da casa feita, a comida que vou servir já adiantada, as toalhas arranjadas, as mesas postas, os quartos arrumados,.....

Quando decidimos fazer o almoço do Baptizado em casa sabíamos que ia ser muito trabalho, mas aquilo em que se pensa é se conseguimos "meter" tanta gente lá em casa, e sobre isso não tinhamos dúvidas, a casa é grande suficientemente para isso!

Mas, o facto de o P. ter começado a trabalha exactamente nesta semana não tem ajudado nada! Assim, restam-me as noites para ir deixando tudo a jeito, já que no fim de semana passado passei os 3 dias a passar a ferro!!!

É por isso que tenho tentado seguir um cronograma muito exigente, porque quero chegar às 11h da manhã de Sábado e poder sentar-me no café ao pé da igreja a relaxar um bocadinho com ela ao colo!

Neste momento, tenho a casa minimamente arrumada, a roupa para vestirmos orientada (este foi uma das poucas recompensas que já tive: o vestido de cerimónia de inverno, que tinha lá em casa já com 10 anos, voltou a servir-me!!!) e as compras feitas!

Agora, já só falta fazer o bacalhau com natas e congelar, fazer as bifanas para comer no sábado à noite, preparar as entradas e as frutas, fazer o arroz doce. Quanto à limpeza da casa, a empregada do meu Pai vai lá amanhã ajudar e a minha Sogra faz a sopa da pedra e traz o bolo!

Para Sábado fica só a faltar o cabeleireiro (tem mesmo de ser!), preparar as saladas, dar banho e almoço à princesa, meter tudo no carro e arrancar!

Estou completamente stressada!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

O Baptismo

Ainda antes de a Catarina nascer, eu e o meu marido questionámo-nos se deveríamos ou não baptizá-la...

Tendo em conta que nós não casámos pela Igreja, não rezamos, não vamos à missa e muito menos comungamos, faria sentido o seu baptismo?

Por outro lado, também não queríamos que o facto de pensarmos em baptizá-la, pudesse de forma alguma, parecer hipócrita, correndo o risco de usar o baptismo como desculpa para fazer uma festa... Coisa que em muitos casos acontece!

Então porque pensávamos nós nisso?! Porque, apesar de não seguirmos as regras procedimentais da igreja católica, a verdade é que os seus valores e princípios humanistas estão profundamente incutidos na nossa própria educação, e consequentemente irão nortear a forma como pretendemos educar a Catarina.

Ainda assim, as dúvidas mantiveram-se após o grande nascimento, e durante aquelas noites em que ficávamos à espera que ela acordasse para mamar, este foi muitas vezes o tema das nossas conversas!!

Bem, o que fazer quando dúvidas destas nos assaltam? Falar com um padre, certo? Mas não um padre qualquer... não um padre que nos viesse com os dogmas do céu e do inferno e do reino de Deus, etc, etc...

Recorremos então ao Padre que na altura estava na nossa paróquia, mas que é uma pessoa impecável, muito acessível e que partilha connosco o fascínio do Caminho de Santiago. Aliás foi exactamente por isso que já o conhecíamos, porque antes de iniciarmos o Caminho o ano passado, estivémos com ele a falar sobre isso!

E tal como já calculávamos, ele ajudou-nos imenso, retirando toda a carga beatista da questão do baptismo, e elucidando-nos que a cerimónia de baptismo de uma criança, apenas significa que a sua educação se orientará pelos tais valores e princípios humanistas defendidos por Cristo, e que em nada nos obriga a mudar o estilo de vida que escolhemos para nós, antes pelo contrário! Também nos referiu que é sempre preferível baptizar as pessoas em criança, uma vez que lhes facilita a escolha no futuro, no caso de quererem seguir a religião católica, mas não as condiciona a isso. Por isso o nosso receio de estarmos a fazer uma escolha pela Catarina, não lhe deixando a possibilidade de escolha na sua vida, estava assim ressalvada!!!

E foram estas as razões que nos levaram a decidir que no próximo dia 6 de Novembro, vamos Baptizar a Catarina, na Igreja onde toda a minha família e a família do meu marido foram baptizados, e com o Padre que nos aconselhou e partilha connosco o entusiasmo pelo Caminho de Santiago (Caminho esse onde a Catarina foi concebida...), e depois daremos um almoço lá em casa apenas para a família mais directa: Pais, Avós, Tios e Padrinhos da Catarina!

Que este dia te reserve um futuro promissor, Catarina!!!